ACESSO RÁPIDO

Como cozinhar com o que você já tem em casa e fazer seu estoque durar

Início / Blog / Como cozinhar com o que você já tem em casa e fazer seu estoque durar

Como cozinhar com o que você já tem em casa e fazer seu estoque durar

Estamos todos isolados em casa, fazendo quarentena para nos proteger e proteger a comunidade contra a propagação do coronavírus. O Centro de Controle e Prevenção de Doenças recomenda que todo mundo tenha em casa um estoque de alimentos que seja suficiente para pelo menos duas semanas.

Você já deve ter ido ao supermercado algumas vezes para montar um estoque dos produtos mais necessários. Com muitas pessoas fazendo compras em pânico e alguns produtos começando a escassear nos supermercados, você pode ter acabado comprando algumas coisas que não costumam constar de sua lista ou ter exagerado na quantidade de alguns dos produtos que você gosta de ter em casa habitualmente.

Seja como for, é importante usar todos os alimentos que você compra, evitando desperdícios. Mesmo fora dos tempos de pandemia, as famílias jogam fora US$ 1.500 por ano em comida que acabam não consumindo

“Mesmo durante a pandemia, é possível que as pessoas comprem alimentos que pensam que deveriam consumir, em lugar de alimentos que elas querem de fato comer. Isso pode acabar levando a desperdícios desnecessários”, comentou Alyssa Pike, nutricionista e gerente de comunicações nutricionais da Fundação Conselho Internacional de Informações Alimentares.

Ficar a par do que está na sua geladeira e despensa e aprender quais alimentos devem ser priorizados te ajudará a evitar desperdícios e a se virar bem com o que você já tem em casa – e, de quebra, até preparar algumas refeições deliciosas. Veja como fazer.

Siga esta regra: entrou primeiro, sai primeiro

A regra do “entrou primeiro, sai primeiro” é seguida à risca nas cozinhas profissionais. É simples: os alimentos mais velhos devem ser guardados no primeiro plano de sua geladeira ou despensa, e os produtos que você comprou mais recentemente devem ficar no fundo. Essa prática também é aconselhável para as cozinhas domésticas, disse Celine Beitchman, diretora de nutrição do Instituto de Ensino Culinário.

“O que não se deve fazer é ficar enfiando produtos em qualquer espaço onde você conseguir encaixá-los”, ela explicou. “É preciso seguir algum tipo de organização quando você os guarda.”

Coloque as frutas e os vegetais frescos na parte mais acessível de sua geladeira, juntamente com o leite e outros laticínios cuja validade vai vencer em menos tempo. Na despensa, organize enlatados, massas e outros produtos de modo a deixar aqueles que vão vencer antes no primeiro plano.

“Sabemos que qualquer coisa que estiver no primeiro plano é o que precisamos usar primeiro, e que o que estiver ao fundo é algo que acabamos de comprar”, disse Beichtman. “Então ficamos mudando os produtos de lugar para sempre podermos seguir a regra do ‘entrou primeiro, sai primeiro’.”

Consuma primeiro as frutas e verduras frescas

Frutas, verduras e legumes frescos devem ser consumidos primeiro, recomendou Kris Sollid, nutricionista e diretor sênior de comunicação nutricional da Fundação Conselho Internacional de Informações Alimentares.

“Consuma primeiro o que estiver mais maduro. Trace um plano para usar os hortifrútis quando estiverem o mais perto de estarem perfeitamente maduros”, ele aconselhou.

Quando frutas e vegetais são guardados corretamente, com as verduras folhosas na geladeira e cebolas e alho em um local escuro e seco, seu tempo de vida será prolongado.

Mas o simples fato de algo começar a murchar ou ficar mole não significa necessariamente que deva ser jogado fora. O congelamento ou cozimento são opções para prolongar o tempo de validade dos hortifrútis.

Bananas que estejam prestes a passar do ponto podem ser congeladas ou utilizadas em smoothies, cookies, tortas, bolos ou pães, disse Sollid.

Verduras de folha podem ser escaldadas, e vegetais como tomates, cenouras e abóboras ou semelhantes podem ser assados no forno. Beitchman recomenda: inclua vegetais cozidos em sopas ou guisados ou os congele.

Melhor ainda: faça uma sopa ou um guisado com os vegetais frescos. As sobras podem ser guardadas na geladeira por três ou quatro dias. Ou você pode separá-las em porções menores e congelá-las por até três meses.

A regra do “entrou primeiro, sai primeiro” também se aplica a carnes e laticínios

Siga a regra do “entrou primeiro, sai primeiro” também com as carnes e os derivados de leite, recomendou Beitchman. Fique atento para as datas de validade e, como você faz com os hortifrútis, pense em congelar ou cozinhar esses produtos para estender sua validade.

A carne crua pode ser conservada no freezer por entre quatro e 12 meses; carnes cozidas, por até dois ou três meses, segundo o Departamento de Agricultura dos EUA. Leite, queijos e outros laticínios também podem ser congelados.

A sugestão de Beichtman é que tudo seja dividido em porções antes de ir ao congelador: corte o queijo em fatias ou pedaços, congele o leite em bandejas para cubos de gelo e congele a carne em porções individuais ou próprias para sua família.

Outra opção para consumir leite e queijos que estiverem chegando perto do fim da validade: faça um molho béchamel. Esse molho cremoso versátil pode ser usado em um macarrão com queijo, uma lasanha ou outros pratos que vão ao forno.

Não se esqueça de checar as datas de validade dos produtos em sua despensa

Depois de ter usado as frutas e verduras frescas, carnes e laticínios, vá para o freezer. Quer sejam comprados no supermercado ou congelados em casa, os alimentos congelados geralmente são mais perecíveis que enlatados ou outros produtos que podem ser guardados na despensa, disse Claudia Sidoti, a chef principal da HelloFresh.

“Mas tudo depende das datas. O mais importante é olhar as datas”, ela explicou, incentivando os cozinheiros domésticos a colar uma etiqueta com data em qualquer coisa que eles congelam.

As etiquetas de data nos enlatados ou outros produtos embalados embalados podem causar confusão. Geralmente não têm base científica, mas oferecem uma ideia de quando o alimento está melhor – não necessariamente de a partir de quando ele se torna impróprio para o consumo.

Segundo Sidoti, alimentos guardados na despensa muitas vezes podem ser consumidos em segurança mesmo que seu prazo de validade tenha acabado recentemente. Mas se alguma coisa tiver aparência ou odor estranhos, ou se você estiver na dúvida, jogue o produto no lixo.

Você sempre pode cozinhar qualquer coisa que estiver prestes a chegar ao fim da validade. E não esqueça que coisas como farinha de trigo e grãos também têm datas de validade.

“No caso de macarrão, você pode cozinhar, guardar em saquinhos com fecho hermético e depois incluir em sopas. Ou pode preparar um macarrão com queijo ‘maluco’, com massas de formatos diferentes, depois dividir em porções e congelar”, disse Sidoti.

Dê asas à criatividade com os ingredientes que houver à mão

É possível que você acabe com uma coleção de ingredientes aleatórios que aparentemente não combinam bem. Nesse caso é preciso lançar mão da criatividade na cozinha. Para Sollid, a melhor maneira de preparar pratos bem balanceados e usar o que você tiver guardado é combinar produtos de prateleira, como feijões, massas, arroz e enlatados, com alimentos frescos e congelados.

Sopas, chilis ou pratos que vão ao forno permitem combinações singulares de ingredientes diferentes, disse Sidoti. Procure no Pinterest ou Google receitas com os ingredientes que você tem à mão ou pesquise nos livros de receitas que devem estar acumulando pó em suas estantes há muito tempo.

“Se você procurar em livros de receitas dos anos 1950, quando pratos assados em travessas estavam super em voga, é espantoso ver os combos de ingredientes enlatados usados pelas pessoas em suas cozinhas”, disse Sidoti. “Dê asas à criatividade e procure maneiras de utilizar aquele ingrediente que você não sabe como usar. Divirta-se com ele, arrisque-se um pouco.”

Troque ingredientes e experimente usar ervas secas e sabores como mel ou melado para utilizar seus ingredientes e não se entediar comendo sempre a mesma coisa, recomendou Beitchman. Pike aconselhou: mesmo quando você estiver fazendo quarentena, procure seguir a alimentação mais sadia possível, usando alimentos de vários grupos e abusando das verduras e frutas – frescas, congeladas ou enlatadas. “Faça as melhores escolhas possíveis com base no que estiver disponível, no que você gosta e o que vai comer de fato, que for prático e ao alcance de seu bolso”, ela concluiu.

(Fonte: Huffpost Brasil)

Comente,

QUE VOCÊ TENHA UMA ÓTIMA QUINTA-FEIRA!

Comentar

Filtered HTML

  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <cite> <blockquote> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd>
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.
COMPARTILHE: 

Últimas do blog