ACESSO RÁPIDO

Como preparar uma lancheira saudável para as crianças, segundo nutricionistas

Início / Blog / Como preparar uma lancheira saudável para as crianças, segundo nutricionistas

Como preparar uma lancheira saudável para as crianças, segundo nutricionistas

Com tanta oferta de alimentos ultraprocessados e hiper-saborosos, fica difícil criar um lanche saudável que seja atrativo para as crianças. Contudo, uma lancheira equilibrada, com combinações certeiras de alimentos, pode fornecer nutrientes, vitaminas e sais minerais essenciais para o bom desenvolvimento da criança e do seu sistema imunológico.

Mas, por onde começar? Segundo a nutricionista Karin Paciulo, professora do Namu Cursos, a dica é pensar em uma lancheira completa, com uma fonte de carboidrato (mandioca, pão caseiro ou frutas), uma fonte de proteína (queijos carnes e ovos) e outra de micronutrientes presentes nas verduras, legumes e frutas.

"O carboidrato garante a energia necessária para as atividades diárias, já a proteína fornece os aminoácidos essenciais para o desenvolvimento estrutural e cognitivo da criança", diz Karin. "Por último, os micronutrientes são ricos em vitaminas e sais minerais responsáveis pelo bom funcionamento dos órgãos e pelo desenvolvimento do sistema imunológico."

Se as crianças não curtem vegetais, a recomendação é insistir. "Se não é fácil inserir novos hábitos na vida de um adulto, imagine na de uma criança!", ponderou o chef de cozinha Amilcar Azevedo, do Gourmetzinho, plataforma de lanches saudáveis infantis. "Por isso, é normal que elas não queiram provar novos alimentos nessa fase. Mas não vale desistir. Só com foco e determinação é possível introduzir mudanças sutis e que trarão resultados significativos para vida da família."

Na hora da escolha, também vale variar os alimentos e torná-los mais coloridos e divertidos. Assim, além de fornecer novos nutrientes, as crianças também vão experimentar e começar a se acostumar com os mais variados sabores.

A nutricionista Karin Paciulo também recomenda investir em receitas criativas. É possível, por exemplo, fazer versões mais saudáveis dos salgadinhos de festa, como nuggets (bem) mais saudáveis (veja receita no final da matéria).

"Utilize farinha integral que são ricas em fibras e aproveite a base da receita para diferentes recheios", sugere a nutricionista.

Tanto a nutricionista quanto o chef concordam sobre os industrializados: evite ao máximo. Além de terem muito mais açúcar, sal e gordura que o necessário, o que pode contribuir para obesidade infantil, estes ingredientes são poucos nutritivos e ainda viciam o paladar infantil. Afinal, quem vai querer uma fruta quando há um biscoito recheado por perto?

"Uma alimentação leve e equilibrada permite que as crianças recebam todo o aporte de vitaminas e nutrientes e sejam menos suscetíveis a doenças relacionadas à obesidade, que aumentou 600% em 30 anos, segundo a Organização Mundial da Saúde", acrescentou o chef Amilcar Azevedo.

A questão não é só vetar processados, mas também oferecer mais alimentos in natura: frutas, verduras, legumes, grãos, etc. "As frutas são boas substitutas para os doces industrializados. Algumas crianças, porém, podem ter dificuldades para aceitar na dieta. Invista em variações diferentes: cozidas, assadas ou até incrementadas em receitas", sugere a nutricionista Karin.

Também dê preferência aos doces caseiros. "Diferente das versões industrializadas - ricas em açúcar, gorduras e aditivos químicos -, os caseiros podem ser feitos com ingredientes mais saudáveis e ser complementados com fibras, gorduras do bem e bons tipos de açúcares", explica Karin.

Por fim, lembre-se de incluir as crianças na preparação dos pratos e das lancheiras. Cozinhar e provar mesmo as receitas mais simples torna um hábito, boas memórias e deixa tudo mais divertido para elas. "É muito importante incentivar as crianças a apreciar a boa comida. Criança que come bem é criança saudável. E criança saudável é criança feliz", finaliza a nutricionista.

(Fonte: Huff Post)

Comente,

QUE VOCÊ TENHA UMA ÓTIMA SEGUNDA-FEIRA! /*--*/

Comentar

Filtered HTML

  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <cite> <blockquote> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd>
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.
COMPARTILHE: 

Últimas do blog