ACESSO RÁPIDO

Finanças pessoais: 9 estratégias essenciais para se organizar!

Início / Blog / Finanças pessoais: 9 estratégias essenciais para se organizar!

Finanças pessoais: 9 estratégias essenciais para se organizar!

Não possuir um planejamento financeiro pode causar diversos problemas para sua vida pessoal. Isso porque, quem não possui controle sobre o próprio dinheiro pode acabar:

  • Se enrolando em dívidas e juros;
  • Gastando mais do que o necessário e do que se deve;
  • E, claro, piorando sua situação cada vez mais, podendo até arruinar as suas finanças completamente.

Diante disso, é mais do que essencial possuir organização nas suas finanças pessoais. Mas, se você ainda não realiza o controle correto do seu dinheiro, não se preocupe! Montar um planejamento financeiro não é nada de outro mundo. Isso porque, o importante é apenas começar, pois com um pouco de dedicação e o conhecimento adequado, é possível mudar essa situação de uma vez por todas.

Para te ajudar nessa missão, separamos 9 dicas para organizar suas finanças pessoais. Confira agora!

1. Poupe uma parte da sua renda a cada mês

Caso você ainda não faça isso, recomendo fortemente que não perca tempo: Defina uma parte de sua renda para ser guardada a cada mês! No início, não é necessário que seja muito, mas tenha em mente que o recomendado é que a quantia a ser guardada seja entre 10% e 30% de toda a sua renda mensal. Assim, você terá uma segurança maior para exercer o seu planejamento financeiro. Ademais, se você deseja atingir a independência financeira em algum momento, você precisa ter o foco em se pagar primeiro.

Uma ótima maneira para estimular essa poupança é o estabelecimento de metas. Para isso, é importante definir com clareza o que você quer fazer com o dinheiro poupado e passar a lembrar desse objetivo frequentemente. Por exemplo, se você possui um objetivo de juntar dinheiro para trocar de carro assim que se formar na sua faculdade, você deverá começar a poupar desde cedo.

2. Evite dívidas e tente comprar sempre à vista

Se você possui dívidas, trabalhe para eliminá-las o mais rápido possível! Negocie melhores condições com o credor e busque quitá-las, priorizando o pagamento daquelas que possuem os juros mais altos. Além disso, tente não fazer compras no cartão de crédito para não se manter refém dos juros. Opte por comprar sempre à vista, visto que com esta forma de pagamento você pode conseguir negociar um desconto e economizar o valor de prestações que se acumulariam por meses.

Por fim, se o uso do cartão de crédito ou até mesmo de um empréstimo for inevitável, faça uma pesquisa e busque entender quais as condições e os juros cobrados, além das taxas e o CET (Custo Efetivo Total) da operação.

3. Construa sua reserva de emergência

Não podemos esquecer que imprevistos podem acontecer a qualquer momento. Portanto, é de grande importância reservar parte da renda mensal para construir sua reserva de emergência. Caso você ainda não tenha uma, esse deve ser o seu primeiro objetivo financeiro. Essa reserva servirá para situações onde é necessário usar o dinheiro com alguma urgência, como aquelas acarretadas por problemas de saúde e desemprego.

Dessa forma, com uma reserva para imprevistos, você estará mais seguro e não precisará recorrer a empréstimos.

4. Descubra quanto é gasto por mês

Conseguir poupar a cada mês, evitar dívidas e ter a capacidade de construir uma reserva de segurança são atitudes fundamentais para a sua saúde financeira. Por outro lado, sem dúvidas, é impossível organizar suas finanças pessoais se você não possui conhecimento exato sobre como está usando o seu dinheiro mensalmente. Por conta disso, busque registrar de forma contínua tudo o que você gasta.

Existem diversas maneiras de fazer um bom gerenciamento financeiro, sendo elas:

  • Aplicativos de controle financeiro pessoal;
  • Folhas de papel;
  • E até mesmo planilhas.

Agora, se você é mais adepto às planilhas, registre todas as suas despesas do mês, como alimentação, contas básicas (telefone, água, luz), gastos com saúde, gastos com lazer, mensalidades e etc., na sua planilha preferida. No fim das contas, o importante é listar absolutamente tudo o que for uma despesa, independente de como isso vai ser feito.

5. Comece a cortar gastos desnecessários

Caso sua renda mensal seja menor, ou próxima do que você está gastando, é essencial fazer uma análise criteriosa do seu orçamento, e verificar onde é possível realizar cortes. Isso pode ser feito por meio de uma escala de prioridades! Gastos com entretenimento e lazer, por exemplo, é possível reduzir e trocar por atividades mais baratas, ou até mesmo gratuitas.

Desse modo, priorize despesas essenciais, como moradia, alimentação e saúde. Muitas vezes, algumas pessoas compram somente por impulso, sem refletir sobre o estrago que isso pode causar em seu orçamento pessoal ao final do mês. Logo, evite o consumismo! Antes de gastar seu dinheiro, verifique se aquilo é realmente necessário e se o valor caberá dentro do seu planejamento.

Ademais, uma outra excelente forma de controlar os seus gastos é por meio de uma lista de compras. Antes de realizar qualquer compra, anote com antecedência quais produtos você está precisando e só compre o que tiver colocado em seu orçamento. Esse planejamento evitará que você compre o que não precisa e ainda economize dinheiro.

6. Estude como investir o que for poupado

Para conseguir administrar sua poupança de forma inteligente, você precisa fazê-la render, pois de nada adianta juntar uma quantia se ela permanecer parada. Sendo assim, é muito importante pensar em aplicar o seu dinheiro em investimentos que te proporcionem rendimentos condizentes com os seus objetivos financeiros. Caso você tenha um perfil investidor mais agressivo, é importante dar preferência a aplicações mais arriscadas, como o investimento em ações.

Já se o seu perfil é mais conservador, o recomendável é optar por aplicações mais estáveis e seguras, como a renda fixa (Tesouro Direto, CDB, entre outros). Apesar disso, vale também lembrar que no atual cenário onde os juros estão baixos, a renda fixa perdeu consideravelmente sua atratividade. Logo, se você busca por melhores rendimentos, é importante procurar aplicações em renda variável. Por outro lado, não esqueça que só se deve pensar em diversificação de investimentos, quando a reserva de emergência já está formada.

7. Verifique sempre como está sendo o seu desempenho

Jamais se esqueça de conferir como está o seu progresso a cada mês! Verifique se suas finanças pessoais estão de acordo com o seu planejamento. Caso não estejam, faça uma reavaliação e determine onde você precisa mudar, conforme a necessidade. Assumir essa estratégia, não só ajuda a manter suas finanças em ordem, como também te ajuda a conseguir identificar o que está errado de forma rápida e eficaz.

8. Aprenda contabilidade com os riscos

Riscos sempre vão existir, e não são à toa! Um dos principais fatores que diferencia as pessoas de sucesso é a atenção incrível que cada uma delas dá às suas finanças pessoais. E como conhecimento significa poder, essas pessoas sabem o suficiente de cada aspecto que envolvem o seu dinheiro. Nesse quesito, um dos aspectos mais importantes, normalmente ignorado pela maioria das pessoas que não conseguem enriquecer, é a noção de “contabilidade”.

Assim, é importante entender os fundamentos contábeis para conseguir contratar um bom contador e evitar a perda de dinheiro. Mas calma, não estamos falando de nada ilegal, muito pelo contrário! As pessoas mais ricas conhecem a contabilidade de forma a evitar tributos e impostos sem necessidade, dinheiro este que em suas mãos é capaz de multiplicar o seu patrimônio.

Repare que, toda vez que você lê uma biografia de um milionário, parte dos seus segredos sempre passam por uma contabilidade impecável e, principalmente, conhecimento tributário. Isso porque, o segredo de quem possui dinheiro é: Jamais perca dinheiro quando isso pode ser evitado.

9. Utilize um software para o controle de suas finanças pessoais

Com o objetivo de organizar seu orçamento e melhorar o seu planejamento, a ajuda de um sistema de controle financeiro pode ser essencial. Esses softwares são práticos, automáticos, intuitivos e ajudam a mostrar de forma mais clara como está a sua atual situação financeira.

Conclusão

Possuir um controle de suas finanças pessoais é o primeiro passo para conseguir retomar o controle da sua vida financeira. Isso porque, não importa quanto dinheiro você ganha, e sim, como você lida com o dinheiro. Afinal, ao se preocupar com o gerenciamento das suas despesas e receitas você evita problemas financeiros futuros. Dessa forma, caso você nunca tenha se preocupado com essa temática antes, e decidiu começar a estudar a partir de agora, entenda que independente da sua atual situação financeira, nada está perdido!

Você pode começar hoje colocando em prática as dicas que aprendeu neste artigo e transformar sua vida financeira! Portanto, não perca mais um segundo, já que tempo é dinheiro.  Comece agora mesmo a colocar suas finanças pessoais em ordem!

(Fonte: Trecho de Mobilis)

Comente, até breve...muito breve

Comentar

Filtered HTML

  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <cite> <blockquote> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd>
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.
COMPARTILHE: 

Últimas do blog