ACESSO RÁPIDO

Gestão financeira na vida das crianças

Início / Blog / Gestão financeira na vida das crianças

Gestão financeira na vida das crianças

Quando o assunto é poupar, o brasileiro já dá aquela risadinha, não é mesmo? Afinal, quem é que tem esse hábito? Um estudo da Associação Brasileira de Educadores Financeiros, em parceria com a Unicamp, mostra que 80% dos trabalhadores não conseguem guardar dinheiro. Sabe por que isso acontece? Por que não recebemos educação financeira. Neste artigo, vamos abordar sobre a importância da gestão financeira na vida das crianças.

É na infância que criamos os primeiros hábitos. Se somos ensinados a comprar todos os doces ou todos os brinquedos possíveis com a mesada que recebemos, dificilmente seremos adultos que controlam o próprio dinheiro. 
Por isso, é fundamental ensinar as crianças a manterem uma relação saudável com a mesada que recebem. Afinal, o dinheiro não é nosso inimigo.

Mas como incentivar este comportamento amigável entre as crianças e o dinheiro? Ensinando a filha ou o filho sobre controle financeiro pessoal e, é claro, dando o exemplo dentro de casa.

Vamos conhecer algumas dicas de gestão financeira para os pequenos?

Assim que a criança aprende as operações matemáticas básicas, ela está apta para lidar com o dinheiro. Isso acontece por volta dos seis anos de idade. Engana-se quem pensa que os pequenos não devem ter contato com as moedinhas. Alguns exercícios importantes são:

Ofereça uma pequena mesada

É aqui que os filhos têm contato com o dinheiro. Mas diferentemente do que muitos pais fazem, a mesada não é moeda de troca por algo que a criança não quer fazer. Por exemplo, se ela não vai bem nos estudos, você não deve negociar o bom desempenho escolar em troca da mesada. Isso cria uma relação de ódio a qualquer obrigação, pois ela só irá estudar mais para ganhar dinheiro.

O mais indicado, portanto, é oferecer uma mesada periodicamente e ensiná-la de que é possível fazer escolhas com esse dinheiro.

Ensine seu filho a separar o dinheiro

Depois que você inseriu o hábito da mesada periódica, ensine a criança a separar o dinheiro em dois: montante para guardar e montante para gastar com alguma coisa. Como fazer isso? Ofereça a ela dois potes transparentes (nada de cofrinhos, tá? Os recipientes transparentes auxiliam os pequenos a enxergarem o dinheiro aumentar). Ela pode poupar 60% e gastar os outros 40%, por exemplo.

Mostre às crianças que as coisas têm valores diferentes

Se você ensina a diferença entre o preço de um brinquedo qualquer e o de uma bicicleta, isso estimula as crianças a pouparem. No entanto, sob nenhuma circunstância ofereça dinheiro em troca de um passeio no parque, uma brincadeira ou um tempo livre com elas. Faz parte da gestão financeira ensinar que algumas coisas têm preço, e outras não.

Controle e gerenciamento financeiro, uma questão de aprendizado

Pode ser que o aprendizado demore para acontecer, mas não tem problema. São os pais que devem promover a troca contínua de informações entre eles e os pequenos. Há pais, por exemplo, que não levam as crianças aos supermercados porque acham que elas não irão se comportar.

Contudo, é justamente ali que os tutores podem ensinar economia aos pequenos. No mercado, eles aprendem a comprar o que é essencial e a selecionar o produto que cabe no orçamento da família.

Outras práticas que estimulam a gestão financeira na vida das crianças acontecem por meio da leitura e do aprendizado. A Turma da Mônica lançou, no final de 2018, gibis relacionados ao planejamento e controle de gastos. 
Os pais podem aproveitar a iniciativa para adquirir os produtos. Isso, ao mesmo tempo, incentiva o hábito da leitura nos filhos.

Apesar disso, lembre-se: é você a inspiração para o seu filho. Se você não tem um bom controle financeiro pessoal, dificilmente conseguirá auxiliar os pequenos na gestão financeira. Então, que tal começar hoje mesmo a repensar seus gastos? 

(Fonte: Finanças Forever)

Comente,

até breve...muito breve! /*--*/

Comentar

Filtered HTML

  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <cite> <blockquote> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd>
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.
COMPARTILHE: 

Últimas do blog