ACESSO RÁPIDO

Inchaço abdominal: causas, sintomas e como fugir dele

Início / Blog / Inchaço abdominal: causas, sintomas e como fugir dele

Inchaço abdominal: causas, sintomas e como fugir dele

Você sofre ou já sofreu com inchaço abdominal?  O problema atinge cerca de 20% da população adulta – e quem passa por essa situação experimenta a sensação de ter comido demais, além de sintomas como pressão na área abdominal e, possivelmente, náuseas, dores e cólicas.

Embora muitas dietas detox e receitas diuréticas estejam por aí, ainda existem muitas dúvidas sobre o assunto. Por isso, com a ajuda da nutricionista Talitta Maciel, preparamos um tira-dúvidas para você entender mais sobre todo o conjunto que envolve o inchaço abdominal. Confira:

Inchaço abdominal: causas, sintomas e como fugir dele

1. Quais são as principais causas do inchaço abdominal?

O inchaço na região abdominal normalmente é derivado da flatulência e da retenção de líquidos no nosso organismo. Quando esse líquido não é eliminado através da urina, causa inchaço principalmente na barriga, pés, mãos, coxas, tornozelos e mamas. Esse acúmulo de líquidos pode fazer com que a pessoa ganhe até 2 kg durante um só dia. O excesso de gases, além de causar flatulência, causa distensão abdominal. Essa distensão que dá a sensação de inchaço e ganho de peso. Os alimentos que colaboram para esse inchaço são os ricos em sal e sódio, como os industrializados, embutidos, conservas e até mesmo bacalhau ou carne-seca.

2. Quais são os alimentos que ajudam a reduzir esse inchaço?

Antes de mais nada, a primeira dica é beber muita água. Para que com isso, seu corpo consiga estimular o funcionamento dos rins, ativar a circulação e eliminar as toxinas existentes no organismo para deixá-lo em equilíbrio. 
Consuma hortaliças e alimentos ricos em água, como chuchu, pepino, melancia, pera e abacaxi. As folhas facilitam a digestão e equilíbrio do intestino. Invista também em alimentos ricos em cálcio (derivados de leite) e potássio (frutas como a banana, vegetais como brócolis e espinafre e leguminosas como a soja). Eles controlam uma bomba dentro no nosso organismo chamada de sódio potássio que com o auxílio do cálcio, torna a eliminação de sódio em excesso mais eficaz.

3. E os tais alimentos diuréticos? Como funcionam?

A palavra diurético é designada a algumas substâncias que têm a função de estimular a eliminação de água e sal do organismo. Eles podem ser ingeridos na forma de medicamentos ou através da alimentação. Os alimentos diuréticos são excelentes para combater a retenção hídrica, e se destacam por possuírem alto teor de água em sua composição. Os rins são responsáveis por filtrar e eliminar as toxinas do organismo. Para o bom funcionamento dos rins, é preciso ter uma dieta com alta ingestão de água e alimentos com alto teor de líquido – exemplos são melancia, melão, morango, pepino e tomate. O consumo de água e diuréticos estimula a produção da urina, garantindo essa eliminação com maior frequência. Os medicamentos diuréticos são receitados para baixar a tensão arterial e tratar a insuficiência cardíaca e outros problemas graves. Reduzem os níveis de líquidos e sal do organismo e aliviam os sintomas de edema – retenção de líquidos, geralmente nos pés e tornozelos.

4. Há alguma contraindicação para uma dieta diurética?

Infelizmente, muitos diuréticos também estimulam a eliminação do cálcio, podendo levar à perda de minerais nos ossos e de quantidades excessivas de potássio através da urina. Os baixos níveis de potássio no sangue podem produzir outros efeitos, como perda de apetite, prisão de ventre, fraqueza muscular, perda de memória e confusão, e ainda, em casos mais graves, a deficiência de potássio pode interferir com o normal funcionamento do coração. Se tem intenção de tomar diuréticos, é importante lembrar que grandes quantidades de alimentos ricos em potássio, como bananas e batatas, são indispensáveis na sua dieta.

(Fonte: Sportlife)

Comente,

QUE VOCÊ TENHA UMA ÓTIMA QUINTA-FEIRA! /*--*/

Comentar

Filtered HTML

  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <cite> <blockquote> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd>
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.
COMPARTILHE: 

Últimas do blog