ACESSO RÁPIDO

O Glúten faz mal à saúde ou não?

Início / Blog / O Glúten faz mal à saúde ou não?

O Glúten faz mal à saúde ou não?

O que é Glúten? Diferentemente do que se pode imaginar, o glúten não é um ingrediente químico, tampouco foi produzido em laboratório. Glúten é uma proteína que pode ser encontrada em cereais. Alguns deles são o trigo, o centeio e a cevada.

Essa proteína é responsável por trazer elasticidade aos alimentos que a contém, além de ser ela o motivo de o pão ficar macio, por exemplo. Essencialmente, o glúten não representa um risco para a saúde, visto que é uma proteína natural; em contrapartida, existem pessoas que podem ser alérgicas a esse composto.

O mal que o glúten pode causar

As pessoas que são alérgicas ao glúten são chamadas de celíacas. Essa condição faz com que o intestino do indivíduo seja incapaz de digerir a proteína, ativando o sistema imunológico contra o próprio corpo.

Uma pessoa que é celíaca pode sentir dor, sofrer de diarreia, distensão abdominal e inchaço. Esses sintomas são resultado do ataque das células de defesa do organismo que se esforçam para expulsar o glúten do corpo.

Ainda que a doença celíaca mereça um cuidado e uma atenção especial, é importante ressaltar que somente 1 em cada 100 pessoas sofrem desse problema. Em outros termos, 1% da população mundial é alérgica ao glúten.

A doença celíaca é o único mal que o glúten pode causar. Muitas vezes, o glúten é cortado de dietas que têm como objetivo o emagrecimento. A pessoa que não ingere glúten pode, de fato, perder peso, mas exclusivamente porque os alimentos que apresentam essa proteína são carboidratos de difícil digestão. Reduzir o consumo desses alimentos automaticamente facilitará a digestão.

Alimentos que contêm glúten e como substituí-los

Tendo compreendido o que é glúten e qual tipo de problema ele pode causar para uma parcela muito específica da população, resta conhecer quais são os alimentos que apresentam essa proteína e como eles podem ser substituídos.

Depois de entender o que é glúten, você compreende que ele está presente em cereais e em carboidratos. Trigo e derivados, centeio e derivados, cevada e derivados, alimentos embutidos, molhos para saladas e aveia são grupos de alimentos que contêm glúten.

Farinha de trigo, pão e cerveja, por exemplo, são alimentos do cotidiano que podem ser vilões para uma pessoa celíaca. Para continuar consumindo esses alimentos, será preciso encontrar produtos que são feitos sem o uso de cereais que dão origem aos ingredientes citados.

Para os cereais, as opções são: farinha de arroz, amido de milho, farinha de mandioca, fécula de batata, farinha de soja, polvilho, flocos de arroz e flocos de milho. Sem o trigo, todos esses alimentos podem ser consumidos por pessoas celíacas.

Outra opção para quem não pode ingerir glúten é acrescentar na dieta mais frutas e mais vegetais. Esses alimentos naturais não apresentam a proteína na composição e ainda fornecem energia e nutrientes para as pessoas que precisam tirar uma parte significativa de carboidratos do cardápio.

Os laticínios também são livres de glúten e podem ser consumidos por pessoas que não são intolerantes à lactose. Queijos, iogurtes e sorvetes de frutas podem ser opções para diversificar a alimentação das pessoas celíacas.

Se você quer substitutos que reproduzam exatamente os produtos que contêm glúten, como uma cerveja sem glúten, o mais recomendado é procurar, na embalagem, pelo símbolo de que o alimento é livre da proteína. Sabendo o que é glúten, você pode identificar facilmente o que faz mal para o seu organismo.

(Fonte: Eu sem fronteiras)

Comente,

QUE VOCÊ TENHA UMA ÓTIMA TERÇA-FEIRA! 

Comentar

Filtered HTML

  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <cite> <blockquote> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd>
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.
COMPARTILHE: 

Últimas do blog