ACESSO RÁPIDO

Orçamento familiar: como usar a técnica ABCD para organizar as finanças

Início / Blog / Orçamento familiar: como usar a técnica ABCD para organizar as finanças

Orçamento familiar: como usar a técnica ABCD para organizar as finanças

Como você cuida do seu orçamento? Sim, estamos falando da sua relação com o dinheiro e, talvez, de toda a sua família. Afinal de contas, planejamento financeiro não é coisa só para empresas, não. Fazer o orçamento familiar ajuda a dar uma noção melhor do quanto ganhamos e gastamos. Isso faz com que seja mais fácil evitar ou quitar dívidas, assim como investir na realização dos nossos sonhos.

Conversa bonita, né? Mas não vamos negar que cuidar do orçamento pode ser um desafio porque, ao menos no começo, você pode achar a tarefa chata. Pensando nisso, queremos apresentar a técnica ABCD para te ajudar. Só vem!

A importância do orçamento familiar

No nosso país, não temos uma cultura voltada para o orçamento doméstico. Por isso, tem gente que não sabe bem o que é ou nunca pensou em fazer. Vale a pena mudar isso. Às vezes, sobra mês no fim do salário e podemos culpar (sem dó) a alta de preços e o baixo poder de compra do Real. Porém, precisamos saber também se nós temos alguma responsabilidade nisso.

Você sabe, de verdade, o quanto você e sua família ganham e o quanto gastam por mês? Não queremos chutes ou suposições, mas respostas certeiras. Sem colocar cada fonte de renda e cada despesa na ponta do lápis, ou em um app moderninho de sua preferência, é bem difícil ter essa informação. É importante fazer um orçamento para entender como o dinheiro é usado por você e sua família. Assim, fica mais fácil entender se é possível economizar em algo, seja para evitar fechar o mês no vermelho ou para pagar por algo que vocês sonham ter.

Em resumo, o orçamento ajuda a manter a saúde financeira de cada um e da família como um todo.

Os desafios do orçamento familiar

Talvez, o principal desafio do orçamento familiar seja transformá-lo em um hábito e registrar todas as informações necessárias constantemente.

Lembra que dissemos que é preciso ter respostas certeiras sobre receitas e despesas? Para isso, pode ser preciso que você adote uma rotina diária de anotações sobre cada gasto ou encontre uma frequência que te permita se lembrar de tudo. Se você e sua família se sentarem para organizar o orçamento apenas uma vez por mês, é bem provável que esquecer de registrar alguma compra ou conta paga no começo do mês.

Assim, é importante manter uma rotina diária, semanal ou quinzenal. Se mais de uma pessoa da família coloca dinheiro em casa e ajuda a pagar as contas, é importante que todas as informações sejam colhidas.

O que é a técnica ABCD para o orçamento familiar?

A gente sabe que falar dos desafios do orçamento pessoal e familiar pode desanimar, mas calma aí! Fomos realistas para que você saiba o que te espera, mas temos algo que pode facilitar as coisas.

A técnica ou método ABCD é um modelo de orçamento que simplifica a organização das despesas familiares e ajuda você a cuidar bem do seu dinheiro. Essa sigla pode ser interpretada da seguinte maneira:

A de Alimentação ― inclua todas as despesas com alimentação e suprimentos, ou seja, aquelas que são realmente necessárias;
B de Básico ― aqui, você deve colocar as contas essenciais, como água, energia e aluguel;
C de Contornável ― inclua nessa categoria aquilo que te leva a ter uma vida melhor e que você gostaria de manter, mas que não é essencial.
D de Desnecessário ― aqui, coloque os gastos recorrentes, mas que sejam desnecessários. Ou seja, aqueles que você poderia evitar, mas está aí dando bobeira.

Como usar a técnica ABCD

A primeira coisa que você precisa fazer é listar todas as suas despesas fixas e variáveis. Dá trabalho, mas é a partir daí que você vai conseguir classificar todas elas em A, B, C, ou D.

Fez as contas aí? Supomos que essa pessoa ou família tem renda mensal de R$ 4.500. As despesas, por sua vez, somam R$ 3.760. Nesse exemplo, então, sobra um dinheiro todo mês. Só que se não houver controle, dívidas podem ser feitas e também fica mais difícil adquirir um bem de valor elevado.

Os gastos da categoria A e B não podem ser revistos, a menos que a família considere, por exemplo, mudar de casa e pagar um aluguel menor. Já os gastos das categorias C e D podem ser repensados. É possível, por exemplo, alternar entre os serviços de streaming e cancelar aquela assinatura que já não faz mais sentido.

Importante! Ao analisar os gastos com o método ABCD, você vai perceber que algo que parece essencial pode não ser. Basta pensar, por exemplo, no delivery de comida que muita gente pede aos finais de semana. É legal? É. Precisa pedir sempre ao invés de cozinhar em casa e economizar um pouco? Provavelmente, não.

Do ABCD ao Z

O orçamento ABCD é uma forma simples de começar a organizar o orçamento da família. É possível parar por aí, caso você entenda que só esse planejamento já é o suficiente para manter as contas e os planos em dia.

Por outro lado, vale saber que a técnica ABCD pode ser só o começo. Uma vez que você conseguir organizar o orçamento da família, pode se aprofundar em outros modelos, mais completos, para conquistar objetivos diferentes.

Caso queira, você pode ir do ABCD ao Z, por assim dizer 😉 Mas é importante dar ao menos uma chance a essa forma de fazer o orçamento familiar que você acabou de conhecer. Cuidar do próprio dinheiro é necessário e confiamos que o método ABCD pode se encaixar bem em sua rotina e te ajudar com isso!

(Fonte: Pago Quando Puder)

Comente,

até breve...muito breve! /*--*/

Comentar

Filtered HTML

  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <cite> <blockquote> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd>
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.
COMPARTILHE: 

Últimas do blog