ACESSO RÁPIDO

Pix vai acabar? Mudanças no limite de transações afetam 'essência' da ferramenta

Início / Blog / Pix vai acabar? Mudanças no limite de transações afetam 'essência' da ferramenta

Pix vai acabar? Mudanças no limite de transações afetam 'essência' da ferramenta

Recentemente, o Banco Central (BC) decidiu que todas as instituições financeiras devem impor um limite de R$ 1 mil em pagamentos realizados via Pix entre as 20h e 6h. A decisão foi tomada devido a pedidos dos próprios bancos para bloquear transações com valores muito altos a fim de evitar golpes ou fraudes.

Em resumo, o governo determinou também que todas as instituições bancárias reportem diariamente ocorrências de fraudes dentro do serviço de pagamentos instantâneos.

Bloqueio cautelar

Além da proibição de transações noturnas, os bancos agora estão autorizados a bloquear contas de clientes que tiverem uma movimentação atípica. Ou seja, que estejam recebendo ou enviando dinheiro pelo Pix de forma suspeita. Com isso, a instituição poderá deixar a conta suspensa por até 3 dias.

PIX sujo e responsabilidade dos bancos

Caso uma conta seja acusada de estar recendo dinheiro de forma ilegal, o CPF da pessoa será “taxado” como suspeito. Em seguida, o banco deve compartilhar todas as informações do cliente com outras instituições financeiras.

Desta forma, o mesmo terá uma grande responsabilidade e controle sobre as fraudes que ocorrem dentro do sistema. Alguns bancos digitais, como o Nubank, já possuem um protocolo avançado para esses casos.

(Fonte: 1Bilhão)

Comente,

até breve...muito breve! /*--*/

Comentar

Filtered HTML

  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <cite> <blockquote> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd>
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.
COMPARTILHE: 

Últimas do blog