ACESSO RÁPIDO

A importância da educação financeira para realizar projetos pessoais

Início / A importância da educação financeira para realizar projetos pessoais

A importância da educação financeira para realizar projetos pessoais

Um dos principais assuntos que todo mundo deveria estudar desde pequeno é educação financeira. Isso não significa só aprender a cortar gastos, economizar e juntar dinheiro. É um mecanismo para você se conhecer, perceber quais são suas prioridades e manter suas finanças equilibradas durante toda a vida.

O resultado disso tudo é o crescimento pessoal e a estabilidade emocional. Afinal, ninguém fica tranquilo com dívidas acumuladas, a conta no vermelho e sonhos emperrados.

É, na verdade, um modo de você repensar a forma como tem usado seus recursos. Deve perguntar a si mesmo: “ultimamente tem sobrado dinheiro ou uso o salário apenas para as contas?” “Tenho metas financeiras para o futuro?” Ao traçar prioridades você, naturalmente, deixa gastos desnecessários de lado para focar o capital em projetos pessoais.

A melhor parte disso é que você passa a controlar seu dinheiro em vez de se desesperar com a conta bancária. E precisamos destacar: não existe idade mínima ou máxima para começar, o importante é tomar iniciativa. 

O que é educação financeira?

Se você não entende muito bem esse conceito, a ENEF (Estratégias Nacional de Educação Financeira) define como um processo no qual os indivíduos melhoram a sua compreensão em relação ao dinheiro e produtos com informação, formação e orientação. “Nesse sentido, geram-se os valores e as competências necessários para se tornarem mais conscientes das oportunidades e riscos envolvidos. Para assim poderem fazer escolhas bem informadas”.

Ou seja, com a educação financeira você aprende a analisar riscos, benefícios de uma compra e como ela pode impactar seu orçamento. Isso te ajuda nas tomadas de decisões, na hora de encarar um banco oferecendo um produto ou uma roupa em promoção. Com isso também é possível pensar no seu futuro e planejar para onde vai seu dinheiro.

A administradora e consultora de finanças pessoais Laura Melaragno,  define esse conceito como uma educação que a gente não tem, mas que é necessária desde criança para tornar as pessoas mais conscientes com relação, principalmente, ao valor do dinheiro.

Importância e Benefícios

Autoconhecimento: esse processo envolve muitas reflexões, desde a sua relação com o dinheiro até o tipo de compra que você passa a priorizar (ou despriorizar). Querendo ou não você se conhece melhor, pensa no que é mais importante, entende se aquela compra era realmente necessária ou foi só um impulso.

Domínio do dinheiro: quando você aprende a usar seus recursos nos momentos e da maneira certa evita gastos supérfluos. E mesmo na hora de comprar consegue ponderar melhor os preços de acordo com o que cabe na sua renda. Em vez de se perder nas contas e cair no cheque especial, tem a possibilidade de planejar onde vai colocar o dinheiro.

Liberdade financeira e sonhos realizados: quando chegar nesse estágio da educação financeira, significa que o dinheiro trabalha para você. Não precisa mais usar o salário só para pagar contas, mas para investir no que te faz feliz. Afinal, à essa altura você vai conseguir acumular o capital com mais facilidade ao longo do tempo.

Satisfação e equilíbrio emocional: nada melhor do que ver dinheiro sobrando na sua conta bancária e aquele projeto pessoal a caminho de ser concretizado. Embora o clichê seja que dinheiro não traz felicidade, o trabalho de se dedicar às finanças gera resultados positivos. Isso te deixa satisfeito consigo mesmo por ter atingido uma meta, eleva sua autoestima e, consequentemente, garante uma boa saúde emocional. E ainda é um incentivo para continuar poupando e investindo no que realmente vale a pena.

Onde estudar educação financeira

O ideal é que o aprendizado comece desde cedo, quando criança.  Assim, a pessoa inicia a vida adulta sabendo administrar o dinheiro e planejando o futuro.

Entretanto, nunca é tarde para aprender. Afinal o dinheiro faz parte da rotina diária. Mesmo quem já tem contato com a educação financeira desde jovem nunca deve deixar de procurar outros meios para se inteirar sobre o assunto. O mercado muda, aparecem novas soluções financeiras e opções de investimento.

Sem contar as mudanças nas necessidades de acordo com a fase da vida. Em algum momento você paga a universidade, depois vem as prioridades dos filhos, do casamento, da aposentadoria.

(Fonte: Creditas)
 

COMPARTILHE: